Ryukyu Koku Matsuri Daiko de Curitiba é destaque em evento no Paraguai

A filial de Curitiba do Ryukyu Koku Matsuri Daiko é uma das atrações do Nihon Matsuri (divulgação)
A filial de Curitiba do Ryukyu Koku Matsuri Daiko é uma das atrações do Nihon Matsuri (divulgação)

No ano que se comemoram os 110 anos de imigração japonesa no Brasil, um evento fora do país chama a atenção pelo ineditismo: a força conjunta das comunidades do Brasil e do Paraguai. Neste sábado (13), o “Nihon Matsuri” promete reunir milhares de pessoas na capital paraguaia para conferirem as atrações relacionadas ao Japão.
Promovido pela Asociación Japonesa de Asunción, o festival segue os moldes dos tradicionais eventos daqui: gastronomia, cultura, produtos e outras atrações. Mas, neste ano, uma das novidades é a participação de uma atração artística nipo-brasileira e bastante popular por aqui, o grupo de taikô de Okinawa Ryukyu Koku Matsuri Daiko (RKMD), filial Curitiba.
A ideia de contar com uma atração brasileira surgiu, na realidade, da necessidade de inovação na parte artística. E, por ter poucos descendentes de Okinawa na região, a prática dos tambores okinawanos não é popular no Paraguai, diferentemente de Bolívia, Argentina e Peru onde a comunidade e cultura okinawana é muito presente. Através de um bate-papo entre representantes da associação paraguaia com o vice-presidente da Associação Panamericana Nikkei do Brasil, Cláudio Kurita, a vontade de inovar evoluiu rapidamente para a idealização da ida do grupo brasileiro ao festival. Deu certo. E, ainda por cima, o RKMD foi confirmado como atração principal do “Nihon Matsuri”.
“Cada vez mais existe a necessidade de integrar e unir as comunidades nikkeis da América, para fortalecimento e intercâmbio de conhecimentos. Hoje em dia, através do avanço da tecnologia, podemos estar próximos de nossos ‘hermanos’. Por tudo isso, conseguimos avançar na parceria e viabilizar esta ‘ponte’ entre Brasil e Paraguai. É uma grande satisfação ajudar e apoiar os jovens nesse trabalho”, explica Kurita.
Já para o grupo de Curitiba, a chance de expandir a cultura para outros países e participar de um intercâmbio “é excelente”. “Para nós do Matsuri Daiko, essa é uma oportunidade muito importante para poder propagar a cultura okinawana através de novas fronteiras. Atuar como a ponte que liga a comunidade brasileira e paraguaia nesse evento e poder ajudar a criar laços mais fortes entre ambas é muito empolgante e gratificante para nós”, explica o líder do RKMD Curitiba, Vitor Shin-Ike.
Assim como Vitor, a vice-líder do grupo, Marilia Miti Minami Miyazaki, também mostra entusiasmo com a apresentação, pois, “através do Eisá (dança típica okinawana), esperamos conseguir transmitir um pouco do que é a imensa cultura de Okinawa, com muita festa e alegria”. O grupo promete uma apresentação impecável, recheada de momentos de emoção e cores. “Será, sem dúvidas, um grande marco nas relações entre Brasil e Paraguai através da cultura tradicional” ,finaliza Cláudio Kurita.

Comentários
Loading...