‘Rosa da Liberdade’, de Ricardo Taira, conta a trajetória de Rosa Miyake e a história da TV brasileira

Capa do livro “Rosa da Liberdade” (divulgação)
Capa do livro “Rosa da Liberdade” (divulgação)

Quem tem mais de 50 anos certamente irá se lembrar. Afinal, a apresentadora Rosa Miyake, que comandou o programa Imagens do Japão, é considerada um ícone da televisão brasileira. “Uma mistura bem comportada e recatada de Hebe Camargo com Regina Duarte”, Rosa Miyake é a cantora da comunidade nipo-brasileira de maior sucesso até hoje.
Quem não teve o “privilégio” de acompanhar sua carreira “em tempo real”, tem agora a oportunidade de pelo menos conhecer sua trajetória em “Rosa da Liberdade”, do jornalista Ricardo Taira. A obra deve chegar às livrarias na primeira quinzena de novembro pela Editora Contexto, ainda no clima das comemorações dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil.
O autor, um paulistano do bairro do Brás e formado em música clássica – apesar de nunca ter exercido profissionalmente seu talento musical – conta como Rosa se tornou um símbolo e uma figura querida para os nikkeis, como representante maior de sua cultura no Brasil, além de uma grande apresentadora e cantora de sucesso.
“Rosa Miyake foi a principal artista da comunidade nipo-brasileira. Teve uma vida bem parecida com as de descendentes de famílias de imigrantes. Mas, no meio do caminho, descobriu um enorme talento para a música. Se destacou, gravou discos, comerciais [é dela a voz do jingle de uma companhia aérea nacional que inaugurava a rota Brasil-Japão] e se tornou garota-propaganda. Anos depois, se mostrou como apresentadora e assumiu o palco do Imagens do Japão – ao lado do apresentador Alberto Murata – o programa que fez o elo entre os dois países”, conta o jornalista, lembrando que “foram mais de 30 anos levando a alegria dos concursos musicais, de beleza e de conhecimento”.
“O Imagens do Japão também se destacou pelo jornalismo e pelas trasnmissões esportivas, além dos eventos especiais, como o Kouhaku Utagassem, e, é claro, pelo carisma de Rosa Miyake”, explica o autor, acrescentando que “por tudo isso, Rosa merece uma biografia”. “Ela ainda é cultuada na comunidade e deixou saudades ao se aposentar dos palcos”, diz.

Roberto Carlos – Repleto de fotos, o livro apresenta um momento importante da história da TV brasileira e também da formação de nosso país como terra de imigrantes. O livro traz ainda curiosidades como o dia em queb Rosa ensinou uma canção em japonês para Roberto Carlos, no momento da primeira apresentação do cantor para a comunidade nikkei, no bairro da Liberdade.
O próprio Roberto Carlos a convidou posteriormente para se apresentar no seu programa musical Jovem Guarda. Chamada de Rosinha pelo rei, Rosa Miyake se tornou a caçula de um grupo que tinha a participação de Erasmo Carlos, Wanderléa, Martinha, Eduardo Araújo, Wanderley Cardoso, Jerry Adriani e de outros nomes consagrados pelo pop nacional.

Ficha Técnica
Rosa da Liberdade
Autor: Ricardo Taira
Páginas: 128
Preço: R$ 29,90
Editora Contexto

Comentários
Loading...