Praticar é a palavra chave!

Não existe milagre ou mágica, é preciso conhecer bem o seu material de pesca e treinar, treinar e treinar. Isto vai te dar confiança e segurança para brigar com o peixão quando este engatar na ponta da sua linha.

Por: Mauro Yoshiaki Novalo

Vamos falar um pouco sobre a tralha de bait, especificamente sobre carretilhas, seja sua pescaria com iscas naturais ou artificiais, seguem algumas noções básicas.

Carretilhas

Colocação da linha

Para conseguir um perfeito armazenamento da linha, é necessário observar alguns cuidados na hora de abastecer, como:

– dar o nó de forma a ficar seguro e firme, procurar mantê-lo centralizado no carretel

– o ideal é transferir a linha no mesmo sentido que estava armazenado, para não gerar uma torção dupla

– armazenar sem exagero mas lembrar que pouca linha, dificulta os arremessos

 

Regulagem

Identificar o botão de ajuste fino que é o que regula a tensão sobre o carretel, deixando-o mais preso ou solto e para evitar cabeleiras, e regula-lo da seguinte forma:

Depois de montada sua vara (com a isca + chumbos e etc), gire este botão de maneira a fechá-lo totalmente. Recolha a linha até o conjunto de isca estiver próximo a ponta da vara e levante-a um pouco. Isto feito, destravar a carretilha e liberar o carretel. Notará que a o conjunto de isca continuará no mesmo ponto. Libere um pouco a pressão e dê pequenos toques de ponta de vara, isto fará o conjunto de isca descer mas devido aos trancos na linha. É continuar liberando a pressão até quando descer lentamente e parar suavemente ao tocar o chão. Quando isto acontecer terá encontrado a regulagem ideal.

Obs: convencionou chamar de cabeleira quando o carretel gira livre, soltando linha dentro do corpo da carretilha, fazendo a linha enrolar entre si, resultando num amontoado e que demanda muita paciência do pescador para desatar.

Freio magnético ou centrífugo (encontra-se normalmente do lado oposto da manivela)

Esta frenagem auxilia no momento do arremesso, pois ele faz com que o carretel não gire mais rápido do que a velocidade em que a isca está sendo arremessada. Para regulá-lo, basta girar o botão e manter numa graduação média entre 5 e 6 (se for graduado de 0 a 10). Caso continue resultando em cabeleira, aumente para 9 ou 10. Seu arremesso será mais curto, mas evitará cabeleiras. Alguns modelos apresentam este freio com buchas que devem ser liberadas. Como no modelo que tem graduação, inicie seu treinamento com metade das buchas travadas.

Nos dois casos conforme sua experiência, você vai trabalhar de início com mais pressão no carretel e liberar aos poucos até que sinta confiança para trabalhar com menos ação deste freio.

Arremesso

Empunhar a vara, deixando as costas das mãos viradas para cima. Se estiver usando uma carretilha para destros, a manivela vai ficar voltada para cima. Com rápido movimento do pulso o arremesso sairá direto à frente.

Conheça os arremessos principais para carretilha e treine-os. Utilizar o peso específico para treinamento ou então uma isca artificial sem garatéias. Isto é essencial para quem depois vai pescar em cima de um barco, e com companheiro a bordo.

Liberação da linha

Acionar o botão (flipping) para liberar a engrenagem da carretilha e, em seguida pressionar o carretel com o polegar, mantendo-o imobilizado. Mirar aonde você quer lançar a isca, e empunhar como descrito anteriormente. Deixe uns 5cm a 10cm de linha solta. Assegure-se de que não tem ninguém ao alcance da sua vara, nem atrás de você.

Com um rápido movimento do pulso e cotovelo, levantar a ponta da vara para cima do ombro e para trás e voltar direcionando para baixo. A vara se curvará em direção ao alvo, sem esforço. A força deve ser aplicada quando a vara está atrás, que é o momento onde se acumula mais potência.

O peso da isca fará a vara se curvar. Quando a vara é puxada para baixo, liberar o carretel que estava preso pelo polegar. O carretel está livre. O momento exato de liberar o carretel é no ponto mais alto do arremesso, ou no ângulo de 45°.

Com a isca sendo arremessada e no seu campo visual (a linha está sendo liberada) ao perceber que atingirá o alvo, é o momento de dar um leve toque no carretel, com o polegar, para frear a linha. No instante em que a isca atingir a água, faça com que o carretel pare completamente de girar, apertando o carretel com o polegar. Para que o arremesso alcance a distância desejada, é treinar, ajustando a velocidade e a força empregada.

O mais importante é arremessar verticalmente, sem desvios laterais. A mão deve estar com as costas viradas para cima e esta posição mantida até o final do arremesso.

Dicas

Depois de conhecer bem o seu equipamento, poderá aos poucos trabalhar com a fricção cada vez mais solta o que ajudará muito para conseguir arremessos mais longos. Cuidado com vento de frente, que além de diminuir a distância dos arremessos pode causar cabeleireiras indesejáveis. Importante aprender diversos tipos de arremessos para atender as variadas situações que encontrará durante a pescaria.

Recolhimento da linha

Este movimento deve ser executado utilizando a ação da vara de pesca, isto é, acionar a manivela sempre que a vara estiver no movimento descendente. Portanto para não forçar o equipamento, você levanta a ponta da vara e na descida: manivela. Quem traz o peixe é a vara e não a carretilha.

Fricção

É a estrela localizada do mesmo lado da manivela, e no caso de destros, para ser facilmente acionada pelo polegar e dedo indicador. No sentido horário (apertar) e no anti-horário (liberar). A calibragem correta garante o uso ideal da linha utilizada (consulte o manual para os procedimentos corretos).

Durante a briga com o peixe às vezes, é necessário liberar um pouco mais da pressão exercida na linha (liberar a fricção), para isso é recomendável você conhecer o equipamento e praticar este procedimento que pode ser a diferença para o sucesso da sua pescaria. Depois de longa briga com um espécime forte, quando o mesmo se encontra bem perto e mostra sinais de cansaço extremo, é recomendável liberar um pouco de fricção e assim evitar romper a linha numa última tentativa de fuga (por exemplo: o peixe pular e cair por sobre a linha completamente esticada).

Manutenção

Terminada a pescaria é lavar todo o equipamento utilizado. Se possível aproveite a hora do banho, e deixar a água do chuveiro escorrer na tralha utilizada na pescaria.

Percebendo algum som estranho durante a pescaria ou depois desta limpeza prévia, reserve-o para uma manutenção completa para não comprometer nenhuma peça.

Pescaria em água salgada ou salobra requer atenção dobrada, devido a maresia. Isto vale para tudo que estiver sujeito a ação da ferrugem (inclusive iscas artificiais) e foi levado ao local, mesmo sem ter sido utilizado.

O ideal é sempre guardar seus equipamentos com a fricção solta, e fazer a devida regulagem toda vez que montar o chicote ou trocar a isca.

Bons treinos e ótimas pescarias!

Apoio:

Caiaque Lontras    www.caiaquelontras.com.br                                                                                              Guss Produções     www.youtube.com/user/dguss1975                                                              Maré Iscas    www.mareiscas.com.br                                                                                                                                   Moro e Deconto    www.morodeconto.com.br                                                                                           Mustad    www.mustad.com.br                                                                                                                                                                                     Piscicultura Chang    www.pisciculturachang.com.br

 

Comentários
Loading...