Koyu Iha anuncia pré-candidatura a deputado federal pelo PROS

Koyu Iha em visita ao Jornal Nippak: “Quero recuperar a discussão sobre princípios e valores” (Jornal Nippak)
Koyu Iha em visita ao Jornal Nippak: “Quero recuperar a discussão sobre princípios e valores” (Jornal Nippak)

Após quase 20 anos desde que exerceu seu último cargo político, Koyu Iha volta à cena para anunciar sua pré-candidatura a deputado federal nas eleições deste ano. O nissei exerceu entre as décadas de 70 e 90 os mandatos de vereador em São Vicente (1969-1974), deputado estadual (1975-1977 e 1983-1987), prefeito da cidade litorânea (1977-1981), no início pelo MDB e depois PMDB (sucessor da primeira sigla, com o fim do bipartidarismo, em 1979); e deputado federal (1987-1991 e 1991-1999), pelo PSDB.
Agora, após ter se desfiliado do partido tucano – tendo sido um dos seus fundadores, em 1988 –, por se sentir “incomodado” com os últimos escândalos envolvendo Aécio Neves e Eduardo Azeredo, segundo disse ao Jornal Nippak, tentará vaga na Câmara dos Deputados em Brasília pelo PROS. A ideia da volta do pré-candidato foi “sugerida” pelo atual governador paulista, Márcio França (PSB), que recebeu apoio do PROS para sua pré-candidatura a governador do Estado.

Trajetória – Nascido em Santos em 1940, aos 78 anos de idade, Koyu Iha disse que terá de se adaptar aos novos formatos para fazer campanha, citando a Internet e as redes sociais, dos quais não tem proximidade – mas já tem as redes ativas. “Mas quero atingir o máximo de pessoas para saberem que sou candidato e lembrá-los da minha história.” Um dos problemas que abordou, relacionando com o atual momento do país e sobre a maneira de se fazer política, é a corrupção, recordando-se de que na sua época, “fazia campanha somente com dinheiro próprio”.
“Quero discutir política, recuperar a discussão sobre princípios e valores, como há 50, 60 anos”, comenta ele, resgatando algumas leis de sua autoria, como a Lei da Pesca, que objetiva desenvolver o setor; Lei da TV a cabo e canais comunitárias (8.977/95), sobre a regulamentação; além de ter participado, com projeto de lei em 1994, da recuperação do casarão histórico, confiscado na Segunda Guerra, e devolvido à Associação Japonesa de Santos (onde era sua sede e escola) – fato que se consolidou em junho.
Em seu mandato como prefeito, Iha assinou em 1978 o primeiro convênio de irmandade entre cidades brasileiras e japonesas e São Vicente tornou-se cidade-irmã de Naha, capital de Okinawa. O acordo, que persiste até hoje e “funcionando bem”, indica, possibilitou já naquela época, por exemplo, o envio de professores infantis ao Japão para trocas de experiências e aprendizado e a recepção de educadores japoneses aqui.
(Cintia Yamashiro, especial para o Jornal Nippak)

Comentários
Loading...