JORGE NAGAO: Naomi Osaka, 1ª campeã de GS

A tenista Naomi Osaka, com apenas 20 anos, é a primeira japonesa a vencer um Grand Slam, dos EUA. Ela enfrentou a sua grande “ídola”, na final do torneio. Um sonho. Serena Williams já vencera 23 vezes o GS e enfrentaria uma novata, uma fã, apenas cumpriria tabela, imaginava.
No primeiro set, surpreendentemente, Osaka venceu com facilidade: 6 x 2. O público nova-iorquino nem se perturbou. Serena, em pouco tempo, viraria aquela partida e venceria mais um GS.
Mas no segundo set, a supercampeã foi advertida por trocar sinais com o técnico. Começou a discutir com o árbitro dizendo que não precisava trapacear para vencer. Quando perdeu um game, nervosa, jogou a raquete no chão e foi punida por abuso material. Serena, indignada, continuou discutindo com o juiz e o chamou de mentiroso. Quando o chamou de ladrão, ele chamou as tenistas e comunicou que Serena fora punida com a perda de uma game: 5 x 3. Ela voltou ao jogo e venceu o game seguinte: 5 x 4. Naomi, tranquila, fez o seu jogo e chegou aos 6 x 4. Naomi Osaka, campeã do Grand Slam. Uma vitória histórica.
Quando caiu a ficha, ela não sabia o que fazer. Ouvia vaias porque a torcida era toda da adversária. A vaia é indiscriminada. Quando o ruído da vaia se espalha pelo ambiente, toda nuança é perdida. Naomi só pensava em pedir desculpas por vencê-la causando o desapontamento de milhares de pessoas.
É provável que a torcida estivesse vaiando a discussão de Serena com o juiz e não Naomi, a cidadã japonesa filha de japonesa e pai haitiano boa parte de sua vida criada nos EUA. As vaias continuaram durante a premiação. Foi nesse ponto que Serena intercedeu. Falando diretamente à multidão e, com toda razão, ela disse: Vamos fazer desse o melhor momento que pudermos. Vamos passar por isso, mas vamos dar crédito pra Osaka e não vamos mais vaiá-la.
E então as vaias pararam. E Osaka, que tinha sido forçada a esconder as lágrimas debaixo de um daqueles visores usados apenas por estrelas do tênis, conseguiu levantar o troféu US Open.
O mais impressionante na performance de Osaka foi sua mentalidade. Esta foi a sua primeira grande final e um confronto sonhado desde criança. Ela poderia ter jogado sabendo que perderia mas, desde o primeiro ponto, ela decidiu fazer o seu melhor e lutou para conquistar o Grand Slam.
“Sempre foi meu sonho enfrentar Serena nas finais do Aberto dos EUA e fiquei muito grato pela oportunidade. Obrigado, disse Osaka, eventualmente, enquanto estava no pódio. Eu sei que todos estavam torcendo por ela e lamento que tenha terminado assim”.
A questão agora é saber se a vitória de Osaka será uma espécie de começo. Serena dominou o tênis feminino nos últimos 15 anos. Durante esse tempo, apenas as belgas Justine Henin e Kim Clijsters realmente ameaçaram sua supremacia e tiveram que fazê-lo em conjunto.
Se o vento está a seu favor, Osaka tem as ferramentas para ganhar e ganhar, ganhar novamente. É provável que ela se torne a próxima maioral do tênis.
Dentre as centenas de congratulações, chegou a mensagem do primeiro-ministro, Shinzo Abe, que a parabenizou pelo twitter e agradeceu a ela por “dar ao Japão um impulso de energia e excitação neste momento de dificuldades”, referência aos desastres naturais que mataram centenas de pessoas e causaram danos generalizados no Japão nas últimas semanas”.
O Yumiuri Shimbum disse: “ A combinação de sua força e inocência infantil é o seu charme”, e elogiou Osaka como “uma nova heroína da qual o Japão pode se orgulhar”.

(com informações do The Guardian)

Comentários
Loading...