Itaim Keiko, uma história de vida

Diretoria da Itaim Keiko, que comemorou o histórico 27º título de Melhor Clube do Ano (arquivo pessoal)
Diretoria da Itaim Keiko, que comemorou o histórico 27º título de Melhor Clube do Ano (arquivo pessoal)

Neste final de semana (15 e 16), a ADR Itaim Keiko comemorou o recorde histórico do 27º Título de Melhor Clube do Ano na Federação de Tenis de Mesa do Estado de São Paulo (FTMSP), antiga FPTM.
A federação, que é o órgão máximo do tênis de mesa paulista, está subordinada à CBTM – Confederação Brasileira de Tênis de Mesa, na sequência à Consuteme – Confederação Sul-Americana de TM, depois à ULTM – União Latino-Americana, e por fim, à ITTF – International Table Tennis Federation.
O Itaim Keiko, fundado em 1983 pela presidente Minako Takahashi – com o apoio de Kyozo Abe, da Itaim Iluminação – me convidou para comandar a equipe na sua criação e por 3 vezes não aceitei.
O clube teve, inicialmente, três técnicos de estilos diferentes e no quarto convite da presidente Minako, em 1986, acabei aceitando este desafio. Em 1990, abdiquei de todas as demais atividades como engenheiro e analista de sistemas para me dedicar 100% a modalidade.
Há 47 anos ininterruptos neste esporte, tenho muito orgulho de estar há 43 anos ensinando a modalidade para mais de 15 mil atletas, sendo que desde 1986 no Itaim Keiko pude desenvolver um trabalho mais profissional e agradeço a confiança da Diretoria, em especial aos vice-presidentes, Makoto Sato e Seiji Abe.
Atualmente com 250 associados, o objetivo maior é o de formar bons cidadãos, boas pessoas, e criar um círculo forte de amizades, que é o grande segredo do clube, a união e a harmonia entre os mesa-tenistas, consequência desse trabalho, excelentes atletas.

Emiko Takatatsu, uma das melhores de todos os tempos com atletas e dirigentes (arquivo pessoal)
Emiko Takatatsu, uma das melhores de todos os tempos com atletas e dirigentes (arquivo pessoal)

Desafios – Para viver do esporte no Brasil, precisamos de muita dedicação, enfrentar grandes desafios para manter o crescimento da modalidade, agradecer a todos que colaboram para divulgar o pingue-pongue, principalmente ao Jornal Nippak, através de seu editor chefe Aldo Shiguti, que tem apoiado durante anos, o nosso tênis de mesa olímpico.
Hugo Calderano foi o presente que recebemos em 2018, sendo o atual 6º no Ranking Mundial, neste final de semana venceu o chinês numero 1 do ranking mundial, Fan Zhendong, feito histórico que deve levá-lo entre os 5 melhores do mundo e agora podemos até sonhar com uma medalha olímpica em Tóquio em 2020.
Nestes 35 anos de Itaim Keiko, formamos atletas e técnicos para integrar a equipe brasileira, renomados como Gustavo Tsuboi, Hugo Hanashiro, Jessica Yamada, Eric Jouti, Kelly Nagaoka, família Kosaka, família Kojima, família Ikeizumi, família Uchimura, familia Uwagoya, família Kawaguchi, Fabio Takahashi, Lincon Yasuda, Serge Mimura, Eric Mancini, Paula Kano, Akiko Iizuka, Daniel Costa, Maira Ranzeiro, Nicolas Santos, Gustavo Ogata, Eduardo Tomoike, Carlos Ishida, Karin Fukushima, Jeff Yamada, Larissa Morita Saito, Leonardo Iizuka, todos estes formados no clube, e mais alguns que vieram de outros e também chegaram na seleção brasileira, como Karin Sako, Lívia Mizobuchi, Levi Namba, Carlos Sakurai, Gabriela Kock, Silvia Shiwa, Hideo Yamamoto, Carlos Kawai, Shigueo Ueki, etc.
Em nosso Bonenkai 2018, comemorativo a mais um titulo de campeão, estiveram presentes, três atletas campeões Latino-Americano Individual e Sul-Americano.
Na foto, Jessica Yamada, Leonardo Iizuka, Eduardo Tomoike.

A partir da esquerda: Dudu, Jéssica e Leo: todos campeões internacionais (arquivo pessoal)
A partir da esquerda: Dudu, Jéssica e Leo: todos campeões internacionais (arquivo pessoal)
Comentários
Loading...