Idealizado por Angelaisa, ‘Kizuna’ celebra integração no Nipo

(Luciene Tiemi Nohama)
(Luciene Tiemi Nohama)

Um espetáculo grandioso e inesquecível, mostrando uma lição de vida vivida pelos imigrantes japoneses que vislumbraram a riqueza, a prosperidade e a felicidade mas encontraram uma terra ainda a ser explorada. Apesar das adversidades, eles conseguiram lutar e vencer, manter as raízes, se reorganizar em grupos, os kaikans e preservar a cultura japonesa ao longo desses 110 anos de imigração no Brasil. No dia 4 de novembro, no Instituto Cultural Nipo-Brasileiro de Campinas, toda essa rica história foi contada no “Show de Integração – Kizuna – Laços de amizade”, com cerca de 200 figurantes pertencentes aos departamentos do Nipo de Campinas, Associação Okinawa Kenjin de Campinas e Associação Cultural Nipo Brasileiro da Colônia Tozan. As três associações não só apoiaram o projeto como também não mediram esforços para a sua realização.

Kizuna - Laços de Amizade, reuniu participantes de três associações no Nipo de Campinas (Luciene Tiemi Nohama)
Kizuna – Laços de Amizade, reuniu participantes de três associações no Nipo de Campinas (Luciene Tiemi Nohama)

Idealizado por Angelaisa Gote, o projeto contou com apoio de Cida Kobayashi, Celso Aoki e Fábio Toma, entre outros amigos e grupos. Segundo Angelaisa, o palco, a iluminação e a acústica foram os grandes desafios.
Mas toda a infraestrutura foi solucionada com a ajuda dos voluntários e amigos. Com isso, o custo aumentou, e surgiu um novo desafio: a busca de patrocínios. “Agradeço todos que patrocinaram e viabilizaram a minha idéia, senti uma vibração positiva em torno desse valoroso propósito de preservar e divulgar um passado de glórias, lutas e sofrimento vivido pelo nossos antepassados” disse Angelaisa emocionada e feliz por essa conquista.”Todos abraçaram a causa, a idéia de fazer algo grande, objetivando unir as pessoas num único projeto” completou.
O público que lotou o ginásio do Nipo Campinas entendeu a mensagem de gratidão aos antepassados que foi passada pela encenação da história num grande teatro. Segundo os organizadores, a tarefa foi muito difícil e precisou de muito diálogo, reuniões e não houve tempo para ensaios. “Houve uma tentativa de um ensaio geral, mas nem todos participaram” disse Angelaisa, mas o “importante é que deu certo, no dia do show, graças ao trabalho dos bastidores, conseguimos unir dança, música, soran, taikô, esportes e artes marciais, crianças, jovens e adultos, os ditians e batians. tudo foi se encaixando num roteiro enriquecido com os figurinos, kimonos, yukatas, chapéus e muita roupa de época”.

Tadayoshi Hanada (centro) também participou
Tadayoshi Hanada (centro) também participou

Trabalho em equipe – Megumi Assano comandou os bastidores juntamente com Iraci Kazue Yamada, Mônica Tengan, Marcia Yamaguichi, Katia Takinami, Andre Dorte e Dalton Yamanaka, entre outros.
Tadayoshi Hanada, presidente de Honra do Nipo Campinas parabenizou a idealizadora do evento Angelaisa Gote, toda a comissão organizadora, os patrocinadores e as três associações participantes e seus presidentes Akira Komiyama, Maurício Shibana e Kazuyuki Sato. “Participei como ator e cantor e tudo aconteceu muito rápido, muita coisa foi no improviso, decorei duas músicas. Me esforcei para dar tudo certo. Mas o mérito é da Angelaisa Toyota, que idealizou e organizou tudo, inclusive a dinâmica entre as apresentações no palco. Ela se dedicou, chamou todos para os ensaios do evento que a princípio aconteceria no salão social, mas o espaço não era adequado para um evento deste porte. Decidimos de última hora realizar o evento no ginásio poliesportivo. Então foi feita a montagem, a iluminação e a instalação dos equipamentos e do som. O custo do evento aumentou muito e fomos buscar patrocinadores, mas felizmente tudo foi resolvido”, disse Hanada, acrescentando que ficou surpreso com tudo que aconteceu”. “Todos os que assistiram elogiaram. O show ficará como uma lembrança muito bonita dos 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil”, disse Hanada, que agradeceu os presidentes Akira Komiyama (Nipo Campinas), Maurício Chibana (Okinawa) e Kazuyuki Sato (Tozan), além da ajuda da Cida Kobayashi, do Celso Aoki, do Mamoru Hayashi, do Fabio Toma e de todos que colaboraram direta e indiretamente para que este evento fosse realizado, “inclusive dos funcionários, patrocinadores e público, que compareceu para prestigiar este maravilhoso espetáculo”. “Acredito que com esse evento cumprimos o dever de comemorar os 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil”, concluiu.

Jogadores de beisebol de Tozan
Jogadores de beisebol de Tozan

Akira Komiyama, presidente do Nipo de Campinas destacou que o trabalho das associações, dos departamentos, dos artistas, dos patrocinadores, “enfim, todos contribuíram e se esforçaram para que este evento acontecesse”. “Realmente fechamos com chave de ouro este 110 anos da Imigração Japonesa”, comemorou Komiyama.
Para Cida Kobayashi, o show “foi uma homenagem aos imigrantes japoneses, dos 110 anos de sua vinda ao Brasil. O fizemos de uma forma singela e breve, com alegria e carinho para contar a epopeia dos imigrantes”, explicou.
Mario Kubota parabenizou todos que participaram da realização do evento e destacou que o o show “foi uma justa homenagem aos nossos pais e avós, que enfrentaram todas as dificuldades para aqui se estabelecerem e escreverem um capítulo na história do nosso Brasil”s a todos que participaram do evento”.

A idealizadora do projeto, Angelaisa Gote
A idealizadora do projeto, Angelaisa Gote

União – Angelaisa revela que a idéia surgiu em junho desse ano, quando participou em Londrina de um evento promovido pelo “Integranikkey”, unindo o Grupo Sansey, Ishindaiko e RKMD no teatro Ouro Verde. “Achei fabuloso esse espírito de unir os grupos, então porque não fazer em Campinas integrando as associações e os departamentos”. E graças a Cida, Mamoru, Celso, Fábio, RKMD, João e grupo Mitsuba conseguimos unir forças e demos os start e tudo deu muito certo”, disse.
(Celia Kataoka Luciane Tieme Nohama)

Comentários
Loading...