HAICAI BRASILEIRO: Rio minguante – Colheita de café – Pau-de-sebo

Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô (1644-1694). O haicai caracteriza-se por descrever, de forma breve e objetiva, aspectos da natureza (inclusive a humana) ligados à passagem das estações. Hoje, no mundo inteiro, pessoas de todas as idades e formações escrevem haicais em suas línguas, atestando a universalidade dessa forma de expressão. 

Envie seus haicais (no máximo três de cada tema sugerido) digitados ou em letra legível, com nome (mesmo quando preferir o uso de pseudônimo), endereço e RG. 

Cada pessoa pode participar com apenas uma identidade. 

A seleção dos trabalhos é feita pelos haicaístas Edson Kenji Iura Francisco Handa. 

Envie suas cartas para:
Haicai Brasileiro
A/C Jornal Nippak
Rua da Glória, 332
CEP 01510-000 São Paulo-SP
E-mail: jornaldonikkey@yahoo.com.br
Cc. ashiguti@uol.com.br

 

TEMAS DE JUNHO

Rio minguante – Colheita de café – Pau-de-sebo

Com rio minguante,
pescador refaz tarrafa:
Tempo de águas turvas.
Antonio Cabral Filho
Rio de Janeiro, RJ

Um filete de água…
poças aqui e acolá
no rio minguante
Benedita Azevedo
Magé, RJ

festival de tombos…
ninguém consegue subir
no pau-de-sebo
Benedita Azevedo
Magé, RJ

tempo avançado
cada ano ouço menos
o rio minguante
Carlos Viegas
Brasília, DF

na fase da lua
rio minguante já presente
as sementes grávidas
Débora Novaes de Castro
São Paulo, SP

Rio minguante –
já não se vê no lago
o brilho de luar
Elisa Campos
São Paulo, SP

rio minguante…
ficou mais nítido o canto
das lavadeiras
Gustavo Terra
S. José dos Campos, SP

Nas pedras do rio
agoniza o peixinho –
Rio Minguante…
Iraí Verdan
Magé, RJ

Perto do terreiro
da colheita de café –
A infância vivida.
Iraí Verdan
Magé, RJ

Menino franzino
alcança o pau de sebo
palmas das torcidas.
Irene M. Fuke
São Paulo, SP

um rio minguante –
em breve o sol queimará
o limo das pedras
José Marins
Curitiba, PR

A festa acabou…
Disputam o pau-de-sebo
moleques de rua.
Mahelen Madureira
S. Bernardo, SP

A vara de espera
esquecida no barranco.
Rio minguante.
Mário A. J. Zamataro
Curitiba, PR

No final do dia
Na colheita de café –
as mãos esfoladas.
Mário Isao Otsuka
São Paulo, SP

canção de escravos
lembra antiga lavoura –
colheita de café
Regina Alonso
Santos, SP

rio minguante
a ave de bico grande
procura alimento
Rose Mendes
Ilhabela, SP

olhos cheios d’água
na tarde triste, tristíssima –
rio minguante
Seishin
São Paulo, SP

No rio minguante
Os peixes quase sem fôlego
Clamando por chuva.
Yone
São Paulo, SP

Temas de agosto (postar até 10 de julho)
Mosca de inverno – Árvore seca – Aquecedor

Temas de setembro (postar até 10 de agosto)
Ciclame – Pardal no ninho – Arar

 

 

Comentários
Loading...