Gratidão e homenagens marcam os 30 anos de sucesso do Hospital Nipo-Brasileiro

Akeo Yogui, cônsul geral do Japão, Yasushi Noguchi e Yoshiharu Kikuchi (Jiro Mochizuki)
Akeo Yogui, cônsul geral do Japão, Yasushi Noguchi e Yoshiharu Kikuchi (Jiro Mochizuki)

“Espero que este hospital proporcione atendimento médico de alta qualidade a todos os brasileiros, despendendo seus serviços por uma extensa área para assim estabelececer uma nova ponte de amizade entre ambas as nações”. Com estas palavras, o então príncipe Aya (Aya-no-miya) – atual príncipe Akishino – inaugurou, em 1988, o Hospital Nipo-Brasileiro (HNB) em evento que contou também com a presença do então presidente da República José Sarney. As palavras de Sua Alteza traduzem com exatidão a missão que os hospital vem desempenhando ao longo de sua trajetória. Criado pela mobilização de inúmeras pesoas e empresas nipo-brasileiras, não foi à toa que sua inauguração coincidiu justamente com as comemorações dos 80 anos da imigração japonesa no Brasil, selando as relações de gratidão e amizade entre os dois países.

E para contar parte desta história de sucesso, a Beneficência  Nipo-Brasileira de São Paulo, conhecida como Enkyo, mantenedora do hospita, reuniu, no último dia 23, no Auditório Yamamoto do HNB, no Parque Novo Mundo, na Vila Maria, diretores, convidados, funcionários, apoiadores, voluntários e colaboradores não só para comemorar, mas também para agradecer.

Conduzida pelo vice-presidente da Enkyo, Jun Suzaki, a Cerimônia Comemorativa de 30 anos do HNB contou com a presença do cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi; do representante sênior do Escritório da Jica em São Paulo, Hiroshi Sato; do vice-presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Roberto Nishio; de Marli Hitomi Matsushita (representando o Kenren); do presidente da Aliança Cultural Brasil-Japão, Yokio Oshiro; do presidente da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, Aiichiro Matsunaga; do deputado federal Walter Ihoshi; do deputado estadual Hélio Nishimoto e do vereador George Hato, entre outros.

Depois das execuções dos hinos nacionais do Japão e do Brasil, os presentes fizeram um minuto de silêncio em memória a todos os colaboradores já falecidos. Após a apresentação de um vídeo institucional do HNB, o presidente da Enkyo, Akeo Yogui abriu a série de discursos destacando que, “graças ao apoio e colaboração de todos, o hopsital cresceu e se desenvoleu – hoje contamos com 244 leitos atendendo a maioria das especialidades médicas, tornando-se hospital de referência na região”.

“Passados 30 anos desde o início de suas atividades, podemos afirmar, com muito orgulho, que oferecemos serviços de alta qualidade, atendimento humanizado aliado ao corpo clínico altamente qualificado”, disse Yogui, acrescentando que “investimos e continuaremos investindo na constante modernização de nossas instalações, na aquisição de modernos equipamentos e na busca e manutenção de intercâmbio com avançados centros médicos do Brasil e do Japão”.

Yogui lembrou que, desde 2013, o HNB tem a certificação ONA nível III, a mais alta qualificação conferida pela Organização Nacional de Acreditação. “Nesta busca constante pela excelência no atendimento, na segurança do paciente do corpo clínico, o hospital trilha neste ano um novo desafio: o processo de implementação do processo internacional, visando alcançar a acreditação internacional de origem canadense”, afirmou Yogui, que terminou sua fala agradecendo “a todos que ajudaram a escrever esta história”, desde o grupo de visionários que tiveram a iniciativa de construir o hospital, até os voluntários  e funcionários, ex-presidentes, diretores, colaborares, associados, empresas brasileiras, pessoas fisicas e juridicas que colaboraram para o crescimento do hospital.

Aspecto geral da cerimônia comemorativa (Jiro Mochizuki)
Aspecto geral da cerimônia comemorativa (Jiro Mochizuki)

Gratidão – “Se hoje o HNB é uma referência na região, devemos creditar como fruto do esforço coletivo e externar nossa eterna gratidão e respeito a todos que ajudaram nessa vitoriosa jornada de 30 anos do hospitral”, disse Yogui, lembrando ainda que, além do HNB, a Enkyo mantém ainda o hospital de São Miguel Arcanjo, o Centro Médico da Liberdade, o Projeto de Integração Pró-Autista (PIPA), Ambulatório Móvel e Unidade Comunitária. Na área de assistência social, mantemos a Casa de Repouso Santos Kosei Home, a Casa de Repouso Ipelândia (Suzano), Casa de Repouso Sakura Home, em Campos do Jordão, Casa de Repouso Akebono, em Guarulhos, Centro de Conviência de Idosos e Centro de Ação Social – Unidade Amami”.

O superintendente geral Walter Amauchi também recordou o surgimento do HNB, abordando desde a a cessão do terreno pela Jica, a preço simbólico, e o início, em 1985, “quando ainda não se faziam internações” – tinha apenas um galpão onde funcionava o centro médico para atedimento a consultas.

Em 1988 foi construída a primeira torre, com 30 leitos e 120 funcionários. Em 1995 foi construída uma segunda torre, passando então para 179 leitos e 602 funcionários. Em 2004 entrou em operação a terceira torre pasando para 235 leitos e 1106 funcionários. Em 2015, através de medidas adminstrativas, foram transferidas diversas unidades adminstrativas para imóveis próximos e com isso o número de leitos subiu para 243, com 1538 funcionários. E em 2018, o hospital chegou a 244 leitos e 1636 funcionários.

Pilares – Amauchi destacou que a gestão do HNB se baseia em quatro principais pilares: a gestão de pessoas/recursos humanos, segurança do paciente/qualidade do atendimento, a tecnologia da informação e controladoria/custos e finanças.

Em relação ao treinamento de desenvolvimento de pessoas, o HNB realiza diversos cursos voltados para os funcionários, dois cursos de MBA através da FGV In Company – um deles ainda em andamento.

Explicou que a cada dois anos, geralmente, o hospital faz treinamento e cursos internos a colaboradores e simulados em situações de urgência. Como em 2017, quando foi realizado o plano simulado de catástrofe, e o de simulado plano de abandono em caso de incêndico em qualquer um dos setores do hospital.

O superintendente destacou ainda a participação do corpo de colaboradores em congressos como palestrantes e falou sobre o projeto de ampliação e a atuação do HNB em atividades de responsabilidade social. “Em um imóvel próximo ao hospital prestamos assistência comunitária à comunidade carente da região. Essa assistência consiste em atendimnentos, consultas pediátricas, consultas pré-natal e consultas odontológicas, além de fornecimento de cestas básicas e festas comemorativas”, explicou, acrescentando que são realizados também exames de imagens e cirurgias pediátricas para a Prefeitura de São Paulo em caráter gratuito.

(Jiro Mochizuki)
(Jiro Mochizuki)

Responsabilidade social – Ainda dentro da responsabilidade social, o HNB desenvolve também  os programas Jovem Cidadão e Jovem Aprendiz. “Idealizado pelo governo do Estado de São Paulo, o Jovem Aprendiz obriga que todas as empresas tenha um percentual de jovens aprendizes, baseado no número de funcionários. Já o Jovem Cidadão é um programa voluntário. Entre o Jovem Cidadão e o Jovem Aprendiz estamos hoje com cerca de 140 alunos e uma prerrogativa é que esses alunos sejam de baixa renda e estejam estudando em escolas públicas”, observou Amauchi, destacando ainda que o HNB integra hoje o ranking das maiores empresas brasileiras – considerando todos os ramos de atividades – conforme publicações em revistas de referência que avaliam o desempenho econômico-financeiro. E citou, como exemplo, o anuário Valor 1000 (edições 2017 e 2018), onde o HNB aparece entre as mil maiores empresas brasileiras.

Em relação ao número de consultas de pronto-socorro, dentro dos hospitais avaliados pela Anap (edição de 2018), o HNB aparece na segunda colocação, atrás apenas do Albert Einstein. “Se consideramos como unidade hospitalar, estaríamos em primeiro em relação ao número de atendimento”, disse Amauchi, lembrando que o HNB ocupa essa posição desde 2014. Em consultas ambulatoriais, o HNB perde apenas para os grandes hospitais e em número de partos, a Maternidade do HNB está na 6ª posição. A Maternidade, aliás, é uma referência como serviço modelar no atendimento aos partos”, frisou Amauchi explicando que a qualidade e excelência do serviços desenvolvidos pelo HNB ao longo desses 30 anos de atuação e sucesso se deve, indubitavelmente e indistintamente a todos os profissionais que integram nosso corpo de colaboradores, pela conhecida competência técnica, pela responsabilidade e pela dedicação”.

“É o nosso patrimônio mais importante e é um grande privilégio e uma das receitas do nosso sucesso ter em nosso quadro profissionais de competência tão diferenciada. Mas todas essas conquistas foram viablizadas graças aos diretores que atuam voluntariamente dedicando grande empenho ao crescimento do hospital, viabilizando a missão da Enkyo, que é a prestação de assistência social beneficente à sociedade”, finalizou Amauchi.

Equipe de médicos (Jiro Mochizuki)
Equipe de médicos (Jiro Mochizuki)

Sonhos – Representando o corpo clínico do HNB, o superintendente clínico Dr. Carlos Alberto Kendy Kumagai lembrou que, “há 30 anos iniciamos juntos a nossa jornada: o hospital em início de funciomento e nós, na sua maioria, recém saídos da residência médica”. “Batalhamos e crescemos  juntos, mas sozinhos nada seria possível. Todos, desde o mais humilde colaborador até a presidência da instituição merecem de forma inequívoca o nosso respeito e admiração”, afirmou.

Já Madalena Watanabe, supervisora de enfermagem do período noturno, falou sobre sonhos e expectativas. “Ao olhar para trás e lembrar de como tudo como começou, fica evidente como chegamos aqui. Sonhos e expectativas que foram concretizados. Dedicamos nossas vidas. A cada ano víamos o hospital crescer, não só em estrutura física mas também em reconhecimento da população às boas práticas e na prestação da melhor assistência aos nossos pacientes. Nossa marca sempre foi a de trabalhar com muita dedicação, os anos passaram e muita coisa mudou, mas a nossa marca continuou”, disse Watanabe.

Homenagens – Em seguida, o Hospital Nipo-Brasileiro prestou homenagens póstumas a Ryoichi Jinnai (ex-presidente do The Japan International Cooperation Foundation), Tadashi Takenaka (ex-presidente da Enkyo e ex-presidente da Comissão de Construção do HNB) e a Takeshi Wai (ex-presidente da Enkyo e responsável pela expansão do HNB).

Também foram homenageados: Yoshiharu Kikuchi (ex-presidente da Enkyo por 16 anos e membro do Conselho Administrativo sendo 6 como presidente do HNB e 6 anos como presidente da Comissão Administrativa do HNB); Sadao Onishi (ex vice-presidente e membro do Conselho Administrativo da HNB de 1.988 a 2016 do HNB); Tadao Yamashita (ex-vice-presidente e gerente geral de 1.989 a 1997, desde 2007 membro do Conselho de Administração), além de médicos, com 30 ou mais anos de trabalho contínuo no HNB; funcionários com 30 ou mais anos de trabalho continuo e colaboradores pessoa jurídica (Bradesco, Consulado Geral do Japão e Jica).

Comentários
Loading...