Faesp e Senar-SP reforçam apoio ao Akimatsuri; festa prossegue neste fim de semana em Mogi

Prefeito de Mogi, Marcus Melo confere exposição agrícola observado por Frank Tuda (Aldo Shiguti)

A Faesp – Federação da Agricultura do Estado de São Paulo e o Senar-AR/SP – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Administração Regional do Estado de São Paulo reforçaram suas parcerias financeira, institucional e técnica com o Akimatsuri – Festival de Outono – que este ano chega a sua 33ª edição. O anúncio foi feito pelo presidente da Faesp e do Senar-AR/SP, Fábio de Salles Meirelles durante a cerimônia de abertura, realizado no último dia 7, no Centro Esportivo do Bunkyo de Mogi das Cruzes – entidade responsável pela realização do evento – no bairro Porteira Preta.
“Hoje, há uma unidade de interesse plena aqui em Mogi das Cruzes de integrarmos o desenvolvimento que permite, com essa experiência de mais de 30 anos do Akimatsuri, de alcançarmos outras regiões, outros municípios. Razão pela qual deverei levar à Diretoria da Faesp e do Senar para incorporar este evento como um assunto importante do nosso sistema Faesp-Senar com apoio oficial a cada ano que ocorrer. Daqui para frente, os organizadores do Akimatsuri podem encaminhar ofício para nós todos os anos que terá apoio não só financeiro mas técnico também”, disse Meirelles, ele próprio um dos quatro homenegados pelo Akimatsuri ao lado de dona Líria Nakayama (esposa de Kiyoji Nakayama, falecido no ano passado) e dos deputados federais Walter Ihoshi (PSD-SP) e Junji Abe (MDB-SP).
“A Faesp e o Senar já vem já vem nos ajudando muito, mas esse apoio oficial será de suma importância para nós pois a gente precisa destes patrocínios para montar um evento deste porte, que exige muito financeiramente e somente com a venda de espaços e venda de bilheterias não conseguimos cobrir os custos”, comemorou Frank Tuda, presidente do Bunkyo de Mogi das Cruzes.

Cosplay – Considerado um dos mais importantes eventos agrícolas do Estado de São Paulo e o segundo maior do Brasil em valorização da cultura japonesa – perde apenas para o Festival do Japão organizado anualmente pelo Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), o Akimatsuri prossegue neste fim de semana (14 e 15) com expectativa de receber um público estimado em cerca de 90 mil pessoas.
Este ano, segundo Frank Tuda, uma das novidades é o Desfile Akiba Cosplay, que acontece no palco do Akimaturi no domingo, 15, por volta das 16 horas. Como incentivo, os organizadores disponibilizaram 800 convites de cortesia para os cosplayers nos quatro dias de evento (limitado a 200 por dia). O desfile será comandado pelo apresentador Kendi Yamai.
Com recursos da LIC – Lei de Incentivo à Cultura, ajuda de parlamentares, patrocínio e apoio de vários parceiros comerciais, o Akimatsuri oferece ainda cerca de 30 shows e uma praça de alimentação com mais de 25 pratos diferentes.
Na cerimônia de abertura, autoridades, políticos, patrocinadores e dirigentes destacaram a importância do Akimatsuri. Pedro Komura, presidente da Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, lembrou que a imigração japonesa em Mogi das Cruzes fará 100 anos em 2019. “A comunidade japonesa contribuiu muito para o desenvolvimento de Mogi”, destacou Komura, que destacou ainda os valores trazidos pelos pioneiros.

Omotenashi – Frank Tuda falou sobre o tema deste ano, Omotenashi, “palavra que não tem um significado real”. “No Japão é como se fosse uma filosofia criada para manter a hospitalidade e a atitude de receber sempre bem as pessoas e visitantes. E é o que fazemos todos os anos no Akimatsuri. Nós, da Comissão Organizadora do Akimatsuri, juntamente com os voluntários, trabalhamos durante meses para oferecer uma linda festa e recebê-los da melhor maneira possível. A nossa receptividade é uma grande porta de gratidão à acolhida aos nossos antepassados que vieram para cá fugidos da guerra em busca de novas oportunidades. Por isso, neste ano que comemoramos os 110 anos da amizade entre o Brasil e o Japão, escolhemos esse tema, omotenashi. Queremos retribuir essa hospitalidade mostrando o que há de melhor na nossa cultura, na nossa culinária e produção agrícola, da qual nos orgulhamos”, disse Tuda, que protagonizou o momentos mais emocionante da cerimônia ao chamar para o palco dona Liria Nakayama, viúva do ex-presidente do Bunkyo, Kiyoji Nakamayma.

Homenagens – “Nosso querido Kiyoji Nakayama não está aqui fisicamente, mas sua alma, sua determinação e seu comprometimento estão dentro dos corações de cada um de nós que aprendemos com ele que só teremos êxito em alguma atividade se arregaçarmos as mangas e trabalharmos com afinco e dedicação”, disse Tuda, que foi aplaudido pelos convidados.
Também homenageado pelo Akimatsuri, o deputado federal Junji Abe, que na sexta-feira (6) anunciou sua filiação ao MDB – jutamente com seu filho, o vice-prefeito de Mogi, Juliano Abe – destacou que “é muito importante garantir suporte ao fortalecimento de festas como o Akimatsuri, que permitem aos visitantes conhecerem melhor a poderosa e diversificada produção agrícola da Região, valorizando o trabalho no campo”. E disse que o Brasil “só se segura financeiramente, economicamente e socialmente em função da agropecuária.
“Apesar das dificuldades, das barragens que levaram milhares de hectares de terras altamente produtivas da nossa região, continuamos sendo os campeões na produção de alface, caqui, nêspera, cogumelo, nas flores e plantas ornamentais. E nós devemos isso aos nossos heróis produtores”, disse Junji, acrescentando que “o festival tem o condão de cumprir dois propósitos simultâneos: a valorização do agronegócio e a difusão da cultura japonesa”.
O deputado federal Walter Ihoshi também foi surpreendido com a homenagem feita pela Comissão Organizadora do Akimatsuri por seu trabalho em prol da cultura japonesa. “Trata-se um dos maiores eventos da cidade de Mogi das Cruzes e é muito importante estar apoiando eventos como esse, que valorizam não só a cultura e a produção agrícola como também carrega consigo os valores trazidos por nossos ancestrais. Valores como respeito, honestidade e ética”, disse Ihoshi, lembrando ainda que este ano a comunidade japonesa comemora os 110 anos da imigração japonesa no Brasil.

110 anos – Presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Harumi Goya também fez reverência ao a Kiyoji Nakayama, “que nos deixou em 6 de julho de 2017”, manifestando reconhecimento à sua atuação como “incansável colaborador e sábio conselheiro, sempre pronto para compartilhar seu conhecimento”. “Aprendemos muito com as lições de Nakayama”, afirmou Goya, destacando que o Akimatsuri abre o calendário geral dos principais festivais nipo-brasileiros.
Ao se referir aos 110 anos da imigração japonesa, a presidente do Bunkyo explicou que “desejamos celebrar para prestar merecidas reverências aos nossos pioneiros como também fortalecer a união da comunidade nikkei”. Ela lembrou que a cerimônia religiosa dos 110 anos será realizada no Grande Auditório do Bunkyo, no bairro da Liberdade, em São Paulo, no dia 17 de junho, e que no dia 21 de julho, durante o Festival do Japão, “iremos realizar a cerimônia oficial com a presença de autoridades do Brasil e do Japão”.
“Temos notícias que a família imperial japonesa será representada pela princesa Mako, neta mais velha do imperador”, informou Goya, afirmando que “nosso principal desafio se refere à captação de recursos financeiros nesta época de crise econômica”. “Mas temos tido a colaboração de muitas pessoas, empresas e organizações”, ressaltou, lembrando que, com o sorteio filantrópico do Toyota Prius, “conseguimos vender 97% dos 25 mil bilhetes que foram colocados à venda”.

Apenas 35 reais – Esta semana, conforme revelou o Jornal Nippak, a Comissão Organizadora inicia uma nova etapa da captação, desta vez com o sorteio filantrópico de um Honda Civic Touring. “Com apenas 35 reais vocês poderão concorrer a um top de linha da Honda”, anunciou Harumi, acrescentando que a extração será pela loteria federal do dia 7 de julho, que sorteará ainda uma scooter no segundo prêmio e um gerador doméstico no terceiro prêmio – também doados pela Honda. Serão sorteados ainda uma TV de 40 polegadas da Panasonic e um celular da Sony, ambos doados pela Fast Shop.

O cônsul geral Yasushi Noguchi (Aldo Shiguti)

Cônsul – Também presente na abertura, o cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasuschi Noguchi disse que, desde que chegou a São Paulo, em outubro do ano passado, sempre quis visitar Mogi das Cruzes. “Comentaram que o Akimatsuri de Mogi das Cruzes é um dos três maiores festivais japoneses do Estado de São Paulo e por isso estou muito feliz de estar aqui”, disse Noguchi, afirmando que “tenho visitado muitas cidades e fiquei impressionado com a presença dos nikkeis no Brasil”.
“Os descendentes de japoneses contribuíram muito para a sociedade barsileira no campo da agricultura, na educação, na cultura, na Medicina, nas artes, nos esportes, enfim em todos os campos. Sei que aqui em Mogi das Cruzes os japoneses se dedicaram muito à agricultura e aprecio muito essa contribuição”, destacou o coônsul.
Já o vice-prefeito Juliano Abe expressou seu sentimento de “gratidão eterna a todos aqueles antepassados e todas aquelas pessoas que ajudaram a construir o respeito que a comunidade japonesa hoje detém dentro da sociedade mogiana, da sociedade paulista e por que não dizer da sociedade brasileira”.

Grupo Ryuko Taiko se apresenta na cerimônia(Aldo Shiguti)

Turismo – Finalizando, o prefeito Marcus Melo lembrou que Mogi tem uma comunidade nikkei muito presente e atuante. “O Akimatusri é uma festa tradicional da comunidade japonesa de Mogi e vem crescendo ano após ano, fortalecendo o turismo de Mogi. Mogi se tornou uma cidade de interesse turística e o Akimatsuri mantém as tradições da comunidade, fortalece os vínculos entre as famílias, entre a comunidade, a cidade e mostra a produção agrícola da região, além de proporcionar um dia de lazer à família de Mogi e do Alto Tietê. Como prefeito fico muito feliz e parabenizo s organizadores, disse Marcus Melo ao Jornal Nippak.

Cerimônia religiosa marcou a abertura do 33º Akimatsuri (Aldo Shiguti)

Culto religioso – Antes da solenidade de abertura, o bispo Kyohaku Correia celebrou uma missa budista de culto às almas. “Graças à orações e esforços contínuos dos organizadores, o tempo tem sido excelente e a estrutura do evento também tem sido cada vez melhor demonstrando que vale a pena vir aqui e investir. Realizamos esse culto religioso não só para que transcorra tudo bem este ano mas também para pedir que o ano quevem seja melhor ainda”, disse Correia, que falou ainda sobre o tema deste ano do Akimatsuri, o omotenashi, “uma das mais fortes marcas da cultura japonesa”.

33º Festival do Outono “Akimatsuri”
Quando: Dias 14 e 15. Sábado, das 10 às 22 horas, e domingo, das 10 às 21 horas
Onde: Centro Esportivo do Bunkyo de Mogi das Cruzes (Av. Japão, 5.919, bairro Porteira Preta, Mogi das Cruzes)
Ingressos: Na bilheteria do Akimatsuri por R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia) para estudantes com carteirinha, professores e pessoas a partir de 60 anos. Crianças até 7 anos não pagam a entrada. Estacionamento R$ 25.
Informações pelo telefone: (11) 4791-2022.

Comentários
Loading...