Alice Imai e alunos realizam 17ª Exposição nos dias 10 e 11 de novembro

Kazuko Shinohara, a professora Alice Imai e Tieko Furuyama (Aldo Shiguti)
Kazuko Shinohara, a professora Alice Imai e Tieko Furuyama (Aldo Shiguti)

Como já acontece há 17 anos, o Ateliê Oshibana-e da professora Alice Imai realizará, nos dias 10 e 11 deste mês, no Iace – Institituto Arte Cerâmica – no bairro de Vila Mariana (zona Sul de São Paulo), a tradicional Exposição de Oshibana-e com a participação de 15 alunos. A mostra, que ficará aberta ao público das 9 às 18 horas, deve reunir cerca de 90 trabalhos, além de bijuterias, pingentes, marcadores de livros, cartões e bloquinhos – tudo utilizando a técnica do oshibana.
Durante a exposição haverá workshops sobre a arte de Oshinbana-e, origami e washi-e. No sábado, foram convidados 25 alunos, professores e responsáveis da escola pública EMEF Armando Arruda Pereira para participar de dois workshops gratuitamente como no ano passado. Segundo Alice Imai, o objetivo dos workshops é fazer com que as crianças “fiquem mais atentas”. “Hoje em dias as pessoas veem, mas não olham”, destaca a professora, acrescentando que, “quem começa a fazer oshibana-e acaba valorizando mais os detalhes”.

Marcadores e pingentes feitos com oshibana-e (Aldo Shiguti)
Marcadores e pingentes feitos com oshibana-e (Aldo Shiguti)

“É também uma forma de educar as crianças e divulgar a arte”, diz Alice Imai, observando que os workshops também estarão abertos aos interessados em geral mediante o pagamento de uma taxa de R$ 20,00. As aulas serão ministradas pelas professoras Alice Haga e Mari Kanegae (origami) e Luiza Okubo (washi-e), além da própria Alice Imai (oshibana-e).
Além da venda e exposição de objetos – os quadros estarão custando a partir de R$ 180,00 e os objetos podem ser adquiridos a partir de R$ 15,00 –, no final do evento também acontecerá o sorteio de um quadro da professora Alice Imai, “Borboletas e Girassois”, com arrecadação revertida para o Graacc (Grupo de Apoio ao Adolescente e Criança com Câncer). Quem quiser contribuir basta adquirir uma cartela no valor de R$ 5,00.

Pouco conhecida – Pioneira nesta técnica, Alice Imai, que estudou por 4 anos na Escola Fushigi na Hana Kurabu do Japão, conta que a arte ainda é pouco conhecida no Brasil. “Nos últimos anos, tenho notado também uma grande procura pelos não descendentes”, afirma a professora, lembrando que oshibana-e significa a arte de prensar flor. “Mas não é só flor, utilizamos outros materiais como galhos e folhas, ou seja, tudo que existe na natureza”, conta Alice, lembrando que, depois de passar quase cinco anos no Japão, entre 1995 e 2000, teve que adaptar toda técnica ao clima do Brasil.
Segundo ela, estas atividades desenvolvem a concentração e a criatividade, trazendo bem-estar e equilíbrio. “Fazem com que esqueçamos os problemas e das preocupações do dia a dia e possamos até mesmo melhorar os nossos relacionamentos”, afirma a professora Alice, acrescentando que um quadro demora, em média, quatro dias para ficar pronto. “Depende muito da inspiração e dos materiais disponíveis”, diz.

Estarão em exposição cerca de 90 quadros (Aldo Shiguti)
Estarão em exposição cerca de 90 quadros (Aldo Shiguti)

Detalhes – Emi Imai está seguindo o mesmo caminho. Começou a aprender a arte de oshibana-e esse ano. “Começando a observar como a natureza traz paz e felicidade nos pequenos detalhes e gente vê como a natureza é deslumbrante e começamos a observar mais de perto as coisas ao meu redor em minhas caminhadas”, explica.
Para Kazuko Shinohara, que está há quatro anos com Alice Imai, a arte do oshibana-e funciona como um hobby. “É uma atividade que me preenche de várias formas”, diz. Já a dona de casa Tieko Furuyama, que está com a professora desde 2004 – é uma das alunas mais antigas e já virou até assistente – explica que é fascinada pela natureza. “Relaxa e traz paz para quem faz”, assegura.

17ª Exposição de Oshibana-e com a Professora Alice Imai e Alunos
Quando: Dias 10 e 11 de novembro, das 9 às 18 horas. Inauguração: dia 9 (sexta-feira), a partir das 18 horas (somente para convidados)
Onde: Iace (Rua Frei Eusébio de Soledade, 84 – Vila Mariana -próximo à estação Ana Rosa do metrô)
Entrada franca
Informações pelo telefone: 11/5573-8099

Programação dos workhops abertos

Origami: sábado, das 15h15 às 16h15, e domingo, das 9h30 às 10h30
Oshibana-e: sábado, das 16h30 às 17h30, e domingo, das 10h45 às 11h45, das 15h15 às 16h15 e das 16h30 às 17h30
Washi: sábado, das 14 às 15h, e domingo, das 14 às 15h

Comentários
Loading...